DENTES COM APARELHO ORTODÔNTICO

Quem usa aparelho ortodôntico fixo sabe como a higienização bucal é difícil. Os bráquetes, elásticos e fios unidos aos dentes dificultam consideravelmente a chegada da escova e, dificulta bastante o uso do fio dental convencional. Com todas estas dificuldades de higienização, a retenção de restos de alimentos nos usuários de aparelho ortodôntico fixo é muito maior.
Sabemos que não escovar os dentes corretamente traz uma série de problemas, principalmente, devido à formação de placa bacteriana que é a responsável pela formação de lesões de cárie, manchas brancas (envolta dos bráquetes, verificadas na remoção do aparelho ortodôntico), pelas doenças gengivais e, também, pelo mau hálito.
Mas não é impossível ter uma boa higiene bucal usando aparelho fixo. Vamos dar algumas dicas que são importantes para conseguir fazer a escovação bem feita e não ficar com marca dos braquetes depois que remover o aparelho.
1Os elásticos
Quem usa aqueles elásticos que prendem a arcada de cima com a de baixo, precisa removê-los antes de começar a escovar os dentes. Se eles continuam ali, “prendem” os dentes e não é possível alcançar os dentes do fundo.
2A escova
Para quem usa aparelho, a escova ideal é uma que tenha as cerdas ultramacias e em grande quantidade. Além disso, ela tem que ter uma elevação central para limpar ao redor dos braquetes. Porém, entre os arcos e fios, é necessária uma escova interdental com um diâmetro que se encaixe perfeitamente nessa região. Não são necessários movimentos fortes, é só “passar” a escova nessas frestas com suavidade. A escova bitufo também é recomendada, ela dura mais que as escovas normais e também limpa melhor. Como o atrito com o aparelho é maior do que comum, a vida útil das escovas é menor, então é bom sempre trocar quando as cerdas começarem a entortar.
3Técnica de escovação
A técnica de escovação é bem importante. Muitas pessoas fazem o movimento horizontal, de “vai-e-vem” e acabam machucando a gengiva, provocando sangramentos e não limpam corretamente os dentes. Quem tem aparelho fixo deve limpar todos os lados que envolvem os braquetes, então é indicado uma escovação do tipo “varredura”, que começa na gengiva e vai subindo. Também é necessário passar a escova entre os arcos.
4Fio-dental
Passar fio dental entre os dentes com aparelho parece uma missão impossível. Mas calma, não é! Algum gênio que usava aparelho fixo criou o passa-fio, uma espécie de “agulha” de plástico, que você coloca o fio-dental e passa por dentro do arco. Mesmo dando mais trabalho, passar o fio-dental é MUITO importante. Quem usa aparelho acumula mais bactérias e comida entre os dentes, então é indispensável o uso do fio-dental para evitar cáries, inflamações na gengiva, tártaro e outras complicações.
5Comida
Infelizmente, quem usa aparelho deve prestar mais atenção ao que come. Alimentos “grudentos” como goma de mascar, balas, pirulitos jujubas e outros doces podem grudar nos dentes e fica muito mais difícil de tirar. Já os alimentos muito duros – pipoca, maçã do amor, amendoim, etc – podem quebrar os braquetes ou entortar o arco.
6Antisséptico bucal
Depois que passar o fio-dental, é bom fazer um bochecho com antisséptico bucal para que ele alcance as áreas que a escova e fio não alcançaram.
7Água morna
Logo após apertar o parelho, os dentes ficam bastantes doloridos. O que pode ajudar muito a diminuir a dor da escovação é a combinação de água morna e utilização de escova de cerdas macias. Lembrando que qualquer complicação durante o tratamento, você deve sempre procurar o seu dentista.
8Manutenção do aparelho ortodôntico
Além dos cuidados com a higiene, a alimentação e os hábitos pessoais, a manutenção periódica do aparelho ortodôntico é fundamental para o tratamento. O acompanhamento deve ser realizado por um ortodontista, pelo menos, uma vez ao mês, para indicar os melhores cuidados, bem como avaliar o progresso com a escovação e o avanço dos resultados.
9Aparelho fixo
Esse é o tipo mais comum. Possui bandas, fios e/ou braquetes. Os dentes são puxados, movendo-se gradualmente em direção à posição correta "Por não permitir a remoção, não dependemos muito da colaboração ou utilização por parte do paciente para obter resultados efetivos. Com esse aparelho conseguimos movimentos precisos dos dentes, porém exige um cuidado maior na sua higienização", explica o expert em aparelhos. Além disso, o profissional ressalta que os aparelhos fixos atuais estão muito mais anatômicos e confortáveis para a boca.
10Aparelho fixo estético
Possui a mesma função que o aparelho de metal: corrigir dentes tortos e desalinhados. Porém, esse modelo é feito de materiais transparentes, mantendo assim uma melhor estética quando comparado ao metálico. Os braquetes são feitos, em geral, de policarbonato, porcelana ou safira. Além de super discreto, eles não desgastam e proporcionam mais segurança e beleza ao sorriso do paciente. A procura por esse tipo aumenta constantemente. É uma excelente opção para quem quer e precisa corrigir a má formação sem deixar de lado a estética e a aparência.
11Aparelho móvel
Muito eficaz para crianças com ou sem dentição definitiva. Em geral, até uns 12 anos de idade é aconselhável esse tipo de aparelho. Explicando de uma forma bem simples, o aparelho móvel tem a função de manter os dentes na posição certa, por isso, ele é indicado após a retirada do aparelho fixo para conter o desalinhamento dos dentes. Mesmo que seja móvel, seu uso deve ser constante. Deixar de usá-lo regularmente pode prejudicar todo o resultado do tratamento.
12Expansor palatino
Muita gente nem conhece, mas o expansor palatino é também um tipo de aparelho. "Esse modelo promove um ganho transversal na largura do palato (céu da boca) sendo indicado em jovens para corrigir mordidas cruzadas, ou seja, quando a região posterior do arco superior estão estreitos em relação ao inferior, além de ganho de espaço para dentes anteriores apinhados", explica Caroline Savio. Para obter o mesmo resultado em adultos, muitas vezes é necessária uma intervenção cirúrgica. Por isso, insistimos na velha máxima de que quanto mais cedo for tratado, melhor. "A procura do tratamento ortodôntico pelos pais para os seus filhos está cada vez mais consciente, seja pela indicação do odontopediatra ou pelo seu médico pediatra. Mas o bom é que não temos idade "máxima" para começar a correção, os adultos também se beneficiam com tratamentos mais eficientes e estéticos", comentou a profissional.
13Aparelhos alinhadores
Mais usado em tratamentos odontológicos estéticos, os alinhadores são quase invisíveis e bastante sofisticados feitos sob medida. São produzidos através de softwares que permitem visualizar os planejamentos e resultados pretendidos. Bem legal, não é? Os alinhadores promovem um tratamento não só higiênico, mas estético, com menos dores e mais eficiência nos resultados. Essa também é uma boa opção para as pessoas que apresentaram alguma rejeição relacionada ao metal ou, especificamente, ao níquel que existe em aparelhos metálicos, provocando inflamação excessiva na gengiva. " Essas rejeições pode ser contornadas com o uso desses alinhadores que seria o ideal devido a ausência de partes metálicas", indicou.
14Aparelho lingual
Para casos mais simples, de curta duração, o aparelho lingual costuma ser o mais indicado. Ele também é considerado um aparelho da ortodontia invisível, já que os braquetes são colados na parte interna dos dentes, ficando em contato com a língua, ou seja, os dentes escondem o uso do acessório. Sua funcionalidade é a mesma de um aparelho fixo. Além do ganho estético, o modelo é indicado para praticantes de esportes de maior contato, já que uma pancada na região da boca pode provocar traumas ocasionados entre o impacto e o aparelho e, com isso, cortar a boca.